Egressos

 

              O PPGEtno tem uma proposta audaciosa no que se refere a formação de seus egressos. De modo geral, pretende que os egressos tenham o perfil de cientistas ou pesquisadores que produzam conhecimento relevante e significativo para entender a complexidade dos sistemas socioecológicos, especialmente nas regiões tropicais. Considerando a própria natureza da etnobiologia, e que os estudos da conservação da natureza envolve profissionais com diferentes orientações teóricas e epistemológicas, o PPGEtno assumiu o desafio de seguir como diretriz as orientações do documento Imperativos Intelectuais em Etnobiologia (2003) que em síntese orienta que: os projetos de pesquisa em etnobiologia deveriam ser guiados por hipóteses; é recomendável incluir colaboradores adequados para garantir o rigor dos métodos de diferentes disciplinas; o uso de análise estatística adequada e rigorosa, bem como modelagem matemática para projetar a coleta e análise de dados. Assim, queremos que os nossos egressos sejam capazes de:

  1. Elaborar e executar pesquisas com o rigor teórico e metodológico exigido pela abordagem que assumam para as suas carreiras, dominando as implicações éticas e legais de suas investigações.
  2. Lecionar e formar novos recursos humanos na área de etnobiologia e/ou conservação da natureza;
  3. Produzir conhecimento científico, tecnológico ou extensionista alinhado as demandas do cenário local e internacional.
  4. Formar profissionais que se identifiquem profissionalmente com a etnobiologia e atuem no campo, ou formar profissionais que se identifiquem profissionalmente para atuar na conservação da natureza, mas com olhar diferenciado para as relações entre natureza e sociedade.

            A primeira turma de doutorandos concluiu seus estudos em 2016.  Aproximadamente 65% dos egressos atuam como docentes em instituições públicas e privadas de ensino superior no Nordeste do Brasil.